Existem muitas doutrinas sendo ensinadas em algumas igrejas que fazem mais mal do que bem para os cristãos. Uma dessas doutrinas é a que tenta explicar o sofrimento dos crentes. Por qual razão um cristão sofre? Por que ele enfrenta aflições? Por que muitos carregam enfermidades?

O problema não está em ter essas dúvidas. O problema está na criatividade de alguns líderes para responder a essas perguntas. Ou talvez esteja na falta de criatividade mesmo, visto que muitos dos jargões gospel utilizados nas igrejas de hoje são cópias de outras igrejas ou de outros líderes.

Como responder às perguntas relacionadas ao sofrimento? Fácil. Culpe a falta de fé do crente. Se você está doente, com alguma dificuldade ou enfermidade é porque você não teve fé suficiente para que esse sofrimento fosse embora. Precisa de base bíblica para isso? Não tem problema. “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si... e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Is 53, 4-5 parafraseado). Você está vendo, meu irmão. Nós fomos sarados. Basta você ter fé nisso, não aceitar a enfermidade, rejeitá-la, repreendê-la e determinar a sua cura!

Amado, como isso deve fazer mal para a vida espiritual de uma pessoa. Muitas vezes somos ensinados que cristão não pode ter doenças, enfrentar dificuldades, passar por adversidades e nem sofrer. Vida de cristão tem que ser uma vida vitoriosa. Riqueza e saúde prá dar e vender. Canso de ver líderes ensinando desta maneira. Por causa desse péssimo ensinamento na primeira dificuldade que a pessoa enfrentar só duas coisas poderão vir a sua mente: ou ela não tem fé ou Deus simplesmente se afastou. Não é a toa que cada vez mais pessoas ficam insatisfeitas com as igrejas.

Minha proposta neste post não é explicar o porquê do sofrimento cristão. Existem várias causas e motivos, mas deixarei para falar sobre isso em um post futuro. No momento eu quero mostrar, através da bíblia, que não existe nada de anormal em enfrentarmos dificuldades.

Primeiramente é necessário saber que não somos os únicos que enfrentam adversidades. Pedro relata o seguinte: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.” (I Pe 5, 8-9). Ele estava encorajando os cristãos para que esses se mantivessem firmes mesmo sabendo que o diabo procurava os tragar. Essas aflições causadas pelo diabo são permitidas por Deus e se cumprem em todos nós.

Paulo também escreve aos moradores de Corinto: “Bendito seja... o Deus de toda a consolação; que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação... Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por meio de Cristo.” (II Co 1, 3-5).

Segundo, as aflições, enfermidades e dificuldades que enfrentamos tem um propósito determinado e fazem parte de um plano de Deus. Se realmente acreditamos que os planos de Deus para nós são maiores do que os nossos próprios planos (Is 55, 8-9) então deveriamos viver de acordo com essa crença e confiar nEle de verdade, não apenas em palavras ou somente quando as coisas vão muito bem para nós.

Muitas vezes relacionamos a causa das nossas enfermidades com coisas que fizemos ou deixamos de fazer e acabaram por não agradar a Deus. Mas e se o Senhor estiver apenas interessado em mostrar a sua graça e misericórdia através desta aflição? Lembra-se do episódio do cego de nascença, relatado em João 9? Quando os discípulos viram o cego logo perguntaram para Jesus quem era o culpado: se ele ou os pais dele. Era desta maneira que eles pensavam. Se alguém tem alguma enfermidade é porque alguém pecou. E qual foi a resposta de Jesus? “Nem ele nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele.” (Jo 9, 3). Jesus deu um outro motivo para os discípulos: era para que a glória de Deus fosse manifestada. E isso pode acontecer com qualquer pessoa.

Em terceiro lugar, existem bem aventuranças específicas para aqueles que sofrem e isto deve servir de incentivo a todos nós. Não somos desse mundo e o infinitésimo tempo que passarmos nele não tem como ser comparado com a glória eterna que está reservada a nós.

“Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus. Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a sua recompensa nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.” (Mt 5, 10-12)

“E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá.” (I Pe 5, 10)

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” (II Co 4, 17-18)

“Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.” (Tg 1, 12)

“Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” (Rm 8, 18)


Não estou dizendo que devemos nos conformar com a nossa dor. Não sou masoquista e também não vejo problema em orar e pedir para que Deus nos cure, desde que nosso foco não fique apenas nisso. Porque se não formos curados ainda assim Ele é digno de toda a glória e devemos continuar confiando nele. Deus nos deixou um livro inteiro justamente para que encontrassemos forças em meio as adversidades, enfermidades e sofrimento (livro de Jó). Se você não for curado em vida como o cego de nascença, que você saiba que a glória de Deus se manifestará em você que crê no Senhor. Quando finalmente estivermos na glória a vida difícil que tivemos aqui será comparada a uma única noite mal dormida em um hotel barato.

Pense nisso.


Cláudio Neto


1 comentários:

Anônimo disse...

Penso que atualmente não é pregado sobre sofrimento pq as pessoas ouvem mto de prosperidade. Ninguém quer sofrer, só ser feliz [externamente] e próspero.

Sem contar q o dizimo diminui, pq qdo mais vc der, mais feliz e próspero será.

[]'s
Dudu

23 de dez de 2009 16:38:00  
Novo Comentário:

Comentários e opiniões, mesmo que as vezes sejam divergentes, sempre são bem vindos e fazem feliz qualquer blogueiro (risos). Contudo...

1. Evite ofensas e palavrões. Mas caso você não consiga se controlar e acabe xingando a mãe de alguém (risos) nós faremos o favor de não publicar o seu comentário.

2. Não temos a obrigação de publicar comentários de Anônimos. Por este motivo sempre se identifique.