No último dia 29 de Outubro eu completei meu 26º aniversário e, como de costume, recebi muitos parabéns e muitas felicitações de várias pessoas, sejam parentes, amigos, familiares, pessoas mais próximas e até as mais distantes. Contudo, uma coisa tem chamado a minha atenção e não é de agora: a cada ano que passa a quantidade de scraps que eu recebo no orkut no dia do meu aniversário aumenta consideravelmente. Não, meu amigo. Não estou citando isto para mostrar o quanto eu sou popular, mesmo porque eu sou bem sem graça e nunca fiz muito sucesso hehehehe. Na verdade o número de scraps que eu recebi aumentou tanto que fez com que eu parasse para refletir sobre algumas coisas.

Lembro-me que a uns dez ou quinze anos atrás era normal (quase que uma religião) eu sair do ginásio/colégio com uns amigos, irmos até a minha casa e, como estudavamos de manhã, passarmos a tarde inteira e uma boa parte da noite jogando vídeo-game. Bons tempos esses... Para aqueles que não tinham vídeo-game, esses momentos eram as raras vezes que eles poderiam jogar uma partida de futebol virtual de qualidade, uma vez que naqueles dias era difícil encontrar alguém que tivesse um Playstation (na época um vídeo-game de última geração) e quase impossível encontrar alguém que além de ter um bom vídeo-game ainda morava perto da escola. Para aqueles que já tinham um console era mais uma oportunidade para "fazer um social" e ganhar umas partidas dos mais novatos. E foram muitos anos de jogatina...

Com o passar do tempo e com a evolução tecnológica esses momentos foram ficando cada vez mais raros e quase inexistentes. Claro que os estudos, o trabalho, nossa família, as obrigações do dia-a-dia e o aumento das responsabilidades que vem no decorrer do anos interferiram muito nisso também. Mas no momento eu quero me focar na tecnologia. Hoje eu ainda jogo e me divirto no vídeo-game com os meus amigos, mas são muito raras as vezes que eles precisam ir até a minha casa para jogar. Agora basta que eu conecte meu video-game na internet e, como que num passe de mágica, já estou conversando com os meus amigos e dividindo algumas partidas com eles. Por um lado isto é muito bom. A facilidade que tenho agora para me divertir com amigos distantes é incrível. Alguns dos meus parceiros favoritos de jogatina moram na Santa Catarina, no Ceará e no Sergipe. Não precisa ser muito bom em logística para saber que a distância entre a minha maravilhosa Sorocaba, no interior de São Paulo, e estes estados é muito maior que a distância dos quatro quarteirões entre a minha casa e a minha ex-escola. Mas, da mesma maneira que a internet tem o poder de unir pessoas que estão distantes uma das outras ela também tem o poder de afastar as pessoas que não estão tão longe assim. Isso porque muitos daqueles que moram na sua cidade, no seu bairro ou até mesmo na sua rua preferem a maneira mais cômoda de cada um jogar na sua casa. "Aquele que dentre vós está sem pecado atire a primeira pedra" (Jo 8:7). Seria hipocrisia de minha parte dizer que eu não faço o mesmo. Ainda que eu me preocupe com a falta do contato humano entre as pessoas muitas vezes eu não faço muito para mudar este quadro. Mas isso me incomoda e espero que esteja te incomodando também.

Perceba quantas vezes nós temos trocado um tempo de relacionamento com os nossos amigos e familiares, talvez uma troca de abraços, um aperto de mão ou um beijo por um telefonema, um msn, um sms, um tweet, um email ou um scrap. Quero deixar claro que não sou contra a tecnologia. Trabalho na área de tecnologia de informação e sei o quanto é util o avanço tecnológico. O problema está em trocarmos um tempo de qualidade com as pessoas que estão perto de nós por esses apetrechos modernos que em nada podem substituir o calor e o contato humano.

Claro que eu fiquei feliz com a demonstração de carinho através dos scraps, ainda que talvez alguns dos que mandam felicitações mandam apenas por desencargo de consciência, uma vez que o orkut mostra quando as pessoas estão fazendo aniversário. Mas mesmo assim eu tive o maior prazer em gastar algumas horas lendo um por um dos scraps e respondendo a todos eles. Contudo, ainda assim ficou aquela sensação de que alguns dos que estavam perto agora parecem não estar tão perto assim e que a distância entre uma rua e outra na mesma cidade é bem relativa - o outro lado da sua rua pode ter a mesma distância que a Terra e a Lua. O mais interessante é que a grande maioria dos scraps terminam com "beijos" ou "abraços"... Estranho, neh? Antigamente era necessário contato para os "beijos" e para os "abraços". Hoje bastam algumas letras... mas foram poucos os que eu realmente senti. Certamente eu trocaria mil scraps escritos "abraços" por um único abraço de verdade.

Não se sinta culpado se você estiver lendo isso, principalmente se você foi uma das pessoas que mandou felicitações para mim. Eu também sou assim. Sou moldado pela vida moderna e uso muito o orkut, o msn e a internet. A intenção não é acusá-lo de nada mas sim fazer com que nós venhamos a refletir sobre como estão os nossos relacionamentos e o que poderiamos fazer ou deixar de fazer para melhorá-los e fortalecê-los.

Por isso, pense nisso.


Autor: Cláudio Neto (apesar do tom melancólico do post deixo claro que não estou "emo" huehuehuehuehe)


2 comentários:

Alline Abreu disse...

Gostei do texto, Claúdio. Faz a gente refletir mesmo.

13 de nov de 2010 08:22:00  
Cláudio Neto disse...

Obrigado pela visita, pelo comentário e por ser a mais nova seguidora do blog hehehe...

Abraços, Alline.

15 de nov de 2010 18:18:00  
Novo Comentário:

Comentários e opiniões, mesmo que as vezes sejam divergentes, sempre são bem vindos e fazem feliz qualquer blogueiro (risos). Contudo...

1. Evite ofensas e palavrões. Mas caso você não consiga se controlar e acabe xingando a mãe de alguém (risos) nós faremos o favor de não publicar o seu comentário.

2. Não temos a obrigação de publicar comentários de Anônimos. Por este motivo sempre se identifique.